Banner

Transpar√™ncia: em transmissão via internet, Governo de MS detalha ações de combate aos inc√™ndios no Pantanal

Por PH em 05/07/2024 às 08:53:01

Com números e mapas, o secret√°rio Jaime Verruck (Semadesc) destacou em transmissão via internet nesta quinta-feira (4), as ações de combate aos inc√™ndios no Pantanal de Mato Grosso do Sul. A live, realizada uma vez por semana, faz parte das medidas anunciadas recentemente pelo governador Eduardo Riedel para dar ainda mais transpar√™ncia no enfrentamento ao fogo.

J√° foram empregados mais de R$ 50 milhões em recursos estaduais nas ações de prevenção e combate aos inc√™ndios. O secret√°rio destacou a ação conjunta desenvolvida com o Governo Federal. "Isso est√° muito organizado, estruturado. Esperamos que consigamos manter toda essa estrutura de apoio ao longo dos meses mais críticos que anda estão por vir, exatamente agosto e setembro", declarou.

Desde 2 de abril de 2024, atuaram na Operação Pantanal 446 bombeiros militares. O reforço da Força Nacional, no momento, representa 82 militares. Outros 233 brigadistas do Ibama reforçam o combate.

Ao todo 11 aeronaves são usadas no combate ao fogo, incluindo Air Tractors, helicópteros e o cargueiro KC-390 dos Governos Estadual e Federal. A estrutura ainda conta com 39 veículos, entre caminhonetes, caminhões e lanchas.

No monitoramento feito pelos bombeiros aparece um ponto de combate na região do Rio Negro que acaba de ser controlado e outros cinco ativos: ao norte de Corumb√°, nas regiões do Porto Sucuri e do Paraguai Mirim, e a sudeste, nas regiões do Buraco das Piranhas, do Rio Abobral e do Rio Taquari.

A explicação deste acompanhamento via satélite veio da tenente-coronel Tatiane Inoue, diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar, respons√°vel pelo monitoramento e ações de combate aos inc√™ndios florestais em Mato Grosso do Sul. Ela foi convidada a participar da live trazendo detalhes do monitoramento a partir do Sistema de Comando de Incidentes.

Desde o começo do ano até 2 de julho, 566 mil hectares foram queimados no Pantanal sul-mato-grossense, o que corresponde a menos de 5% do total de 9 milhões de hectares da região pantaneira no Estado. O aumento chega a 157% em relação ao mesmo período de 2020, quando foram queimados 219 mil hectares - considerada até então, a pior temporada de inc√™ndios. Os números são do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais do Departamento de Meteorologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Os focos de calor detectados via satélite chegam a 2.879 nestes primeiros seis meses, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais). Aumento de 45% em relação ao mesmo período de 2020, quando houve 1.975 registros.

Jaime Verruck reforçou que nem todos os focos de calor se transformam em inc√™ndios e respondeu também sobre Estatuto do Pantanal, recém aprovado pela Comissão de Meio Ambiente do Senado Federal.

O secret√°rio ressaltou que tanto Mato Grosso do Sul quanto o vizinho Mato Grosso j√° tem leis próprias e isso j√° cria possibilidades legais de atuação. "Caso [a Lei Federal] venha a ter restrições adicionais a que nós temos aqui, valer√° obviamente a federal. É um mecanismo importante para a proteção do Pantanal, mas entendendo que os dois Estados j√° estabeleceram um mecanismo relevante que garante a proteção do Pantanal", disse.

Responsabilização – De janeiro de 2020 a junho de 2024 foram aplicados 94 autos de infração que somam R$ 54 milhões. Respondendo a uma pergunta encaminhada previamente pela imprensa, o secret√°rio explicou como funciona o processo. Destacou que a primeira fase é a identificação, depois é preciso saber qual fato gerou o inc√™ndio, se foi natural ou colocado por terceiros. "J√° emitíamos 94 autos de infração e destacando, deste valor total voc√™ tem todo o processo administrativo de responsabilização, de defesa. Até o momento nada desses 54 milhões entrou no caixa do governo. No momento em que qualquer multa ambiental dessa ordem entra ser√° usada pela própria estrutura do Imasul em apoio às ações de prevenção, combate e toda a estrutura ambiental do Estado", explicou Jaime Verruck.

Previsão do tempo – De acordo com o Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima de Mato Grosso do Sul), até 6 de julho a meteorologia indica tempo seco aliado aos calor acima da média. A partir daí uma frente fria tende a deixar as temperaturas mais amenas, com baixa probabilidade de chuva, principalmente na região pantaneira. H√° uma possibilidade de chuva em torno do dia 10 de julho. Depois as temperaturas estarão em gradativa elevação nas regiões mais afetadas pelos inc√™ndios florestais porém, devem permanecer abaixo dos 30¬įC até a primeira quinzena de julho.

Medidas tomadas pelo Governo do Estado para o combate aos inc√™ndios: Projeto de Lei 146/2024 encaminhado à Alems (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul) para permitir a contratação de "bombeiros militares tempor√°rios"; Programa de monitoramento via satélite; Liberação para aumento de aceiros (contrafogo); Decreto estadual situação emerg√™ncia (cidades); Portaria que suspende queima controlada; Assinatura do Pacto Federativo junto ao Governo Federal; Decreto situação de emerg√™ncia ambiental em MS por 180 dias (prevendo queima prescrita); Treze bases avançadas no meio do Pantanal instaladas desde abril de 2024, quando o Estado decretou situação de emerg√™ncia. Pela necessidade de serviço, hoje h√° mais duas instaladas, totalizando 15 bases avançadas no momento; Lei do Pantanal aprovada em dezembro de 2023.

Confira a live completa:

Danielly Escher, Comunicação Governo de MS
Foto: Bruno Rezende

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comunicar erro
ana

Coment√°rios

Tribunal