Governos e instituições cient√≠ficas são melhores fontes sobre vacinas

Páginas oficiais de órgãos de saúde, como as secretarias estaduais e municipais, o Ministério da Saúde, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), estão entre as melhores fontes para tirar dúvidas e saber qual é a recomendação de vacinação para cada faixa etária e situação de saúde.

Por PH em 16/09/2023 às 10:10:45
Divulgação

Divulgação

P√°ginas oficiais de órgãos de sa√ļde, como as secretarias estaduais e municipais, o Ministério da Sa√ļde, a Organização Pan-Americana de Sa√ļde (Opas) e a Organização Mundial da

Logo Agência Brasil

Sa√ļde (OMS), estão entre as melhores fontes para tirar d√ļvidas e saber qual é a recomendação de vacinação para cada faixa et√°ria e situação de sa√ļde. Além delas, instituições cient√≠ficas como a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) oferecem muito conte√ļdo em linguagem acess√≠vel para esclarecer a população sobre os benef√≠cios e a segurança da vacinação.

Especialistas em vacinas ouvidos pela Ag√™ncia Brasil recomendam que a população busque essas fontes para se informar, e aproveite também o contato com unidades e profissionais de sa√ļde para tirar d√ļvidas e buscar orientações sobre seu calend√°rio vacinal ou o de alguém de sua fam√≠lia.

Pediatra Patr√≠cia Boccolini destaca import√Ęncia de recomendações sobre vacinas estarem baseadas em

evid√™ncias cient√≠ficas sólidas - Arquivo pessoal

Coordenadora do Observatório de Sa√ļde na Inf√Ęncia (Observa Inf√Ęncia), projeto da Fiocruz

Logo Agência Brasil

e da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/UNIFASE), a pediatra Patr√≠cia Boccolini destaca que estar munido dessas informações é essencial para tomar as melhores decisões para a sua sa√ļde.

"Onde procurar? Em fontes oficiais de sa√ļde. Por exemplo, no site da OMS, no site do Ministério da Sa√ļde, que são organizações que baseiam suas recomendações em evid√™ncias cient√≠ficas sólidas. Também em universidades e instituições de pesquisas médicas. Profissionais de sa√ļde, médicos e enfermeiros, pessoas nos postos de sa√ļde também são boas fontes. A vantagem é que essas pessoas t√™m um conhecimento sobre o nosso histórico médico, isso é interessante."

Para a médica, tão importante quanto saber onde procurar, é saber que tipo de fontes evitar.

"O principal é evitar fontes que não sejam verificadas, fontes provenientes de redes sociais, influenciadores. A informação pode estar a√≠ sem nenhum crivo. A pessoa pode simplesmente chegar no Instagram e falar qualquer coisa sem respaldo de uma instituição com credibilidade."

Informação oficial

Presidente do Instituto Questão de Ci√™ncia, a microbiologista e escritora Natalia Pasternak também considera que as redes sociais não são o lugar adequado para a busca de informações sobre sa√ļde, pelos mesmos motivos destacados pela coordenadora do Observa Inf√Ęncia.

"A primeira coisa é procurar informação oficial. Parece bobagem dizer isso, mas é preciso dizer para as pessoas que m√≠dia social não é para se informar. É um lugar de troca de dicas, de trocas de ideias, e pode até ser que apareça alguma coisa legal por l√°, mas não é o lugar para ir buscar informações confi√°veis, principalmente para temas de sa√ļde."

Natalia Pasternak também acrescenta que sociedades cient√≠ficas e instituições de pesquisa trazem boas informações em suas p√°ginas da internet, mas acredita que uma fonte ainda melhor nesse sentido poderia ser uma p√°gina oficial do próprio Programa Nacional de Imunizações (PNI), que completa 50 anos no próximo dia 18 de setembro.

"A gente infelizmente não tem no Brasil um órgão centralizador como o CDC dos Estados Unidos, que disponibiliza todas as informações de forma f√°cil", afirma. "O PNI é um órgão técnico, que independente de governo, é um departamento técnico dentro do Ministério da Sa√ļde. Seria legal se o PNI se encarregasse de reunir a informação correta sobre vacina em um hub onde fosse mais f√°cil navegar."


Recorrer a

p√°ginas de d√ļvidas de sites oficiais também é um bom caminho para obter informações confi√°veis sobre vacinas, diz

Logo Agência Brasil

Isabela Ballalai -

SBIm

Perguntas frequentes

A diretora da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Isabela Ballalai, aconselha também a buscar as p√°ginas de d√ļvidas frequentes disponibilizadas por muitas dessas p√°ginas oficiais. A seleção dessas perguntas se d√° pela repetição das solicitações enviadas a essas instituições, e, muitas vezes, j√° h√° uma resposta pronta que atende exatamente à d√ļvida que precisa ser sanada.

"Na SBIm, temos dois sites. Ali tem tudo sobre qualquer vacina de forma transparente, os eventos adversos que podem causar, como são feitas. E voc√™ também pode mandar uma d√ļvida. A SBIm responde d√ļvidas todo dia. Quem responde somos nós. Não é um robô nem uma secret√°ria. Somos nós, da diretoria da SBIm, que respondemos a essas d√ļvidas. Tanto da população quanto dos profissionais de sa√ļde."

Lista de fontes confi√°veis sobre vacinas:

A Organização Pan-Americana de Sa√ļde (Opas), braço da OMS nas Américas, apresenta dados, boletins, recomendações e informações detalhadas sobre as vacinas e as doenças prevenidas por elas.

Logo Agência Brasil

O Ministério da Sa√ļde também tem uma p√°gina que esclarece d√ļvidas e apresenta cada um dos calend√°rios vacinais: da criança, do adolescente, do adulto e da gestante.

O portal da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) detalha todas as vacinas que produz, traz informações sobre as doenças que elas previnem e publica resultados de pesquisas sobre imunização e outros temas.

O Instituto Butantan também disponibiliza detalhes sobre as vacinas fabricadas para o Sistema √önico de Sa√ļde, incluindo bulas espec√≠ficas para os profissionais de sa√ļde e para a população em geral.

Logo Agência Brasil

A p√°gina Fam√≠lia SBIm, da Sociedade Brasileira de Imunizações, traz detalhes em linguagem acess√≠vel sobre cada vacina, incluindo eventos adversos previstos. A p√°gina também tem informações sobre as indicações do PNI para a vacinação e também faz suas próprias recomendações, incluindo vacinas da rede privada.

A Sociedade Brasileira de Pediatria tira d√ļvidas e oferece informações acess√≠veis sobre diversos temas na p√°gina Pediatria para as Fam√≠lias, com esclarecimentos sobre assuntos como aleitamento materno e vacinas e vacinação na adolesc√™ncia.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
Governo do Estado

Coment√°rios

Assembleia Legislativa