Canal 73

Mulher recusa sexo com amigo do marido e Ă© morta com 18 facadas e golpe de enxada na cabeça

Por PH em 20/02/2024 às 15:04:38
Divulgação

Divulgação

Caso foi registrado em Rio Verde, quando o acusado foi à casa da vĂ­tima no momento em que o marido dela estava fora e tentou obrigar relações sexuais.

Jéssica Martins de Souza, 31 anos, foi brutalmente assassinada, com 18 facadas e um golpe de enxada na cabeça, após se recusar a fazer sexo com um "amigo" dentro de casa, em Rio Verde, sudoeste goiano, quando o acusado apareceu no momento em que sabia que o marido da vĂ­tima não estaria e, assim, seria mais fĂĄcil obrigar a vĂ­tima a manter relações sexuais, o que foi recusado pela mulher.

De acordo com a ocorrĂȘncia, no dia 1Âș de fevereiro, aproveitando-se da ausĂȘncia do marido de Jéssica, o suspeito tentou forçĂĄ-la a ter relações sexuais com ele. Diante da recusa, ele a agrediu, causando sua morte.
O crime ocorreu próximo a um posto de combustĂ­veis na BR-452.

O assassino era conhecido de Jéssica e do marido dela e costumava visitar a residĂȘncia do casal.

O delegado Adelson Candeo, responsĂĄvel pelo caso, destacou a extrema brutalidade e violĂȘncia do crime.

"O corpo foi encontrado por pessoas que trabalhavam próximo ao local e que viam a mulher diariamente. Naquela data, como não a viram, foram até a casa e a encontraram caĂ­da em meio ao sangue", detalhou o delegado.

O suspeito tem um histórico violento e também faz uso de drogas. Segundo o delegado, em agosto do ano passado, ele jĂĄ havia agredido Jéssica ao ponto de quase causar a morte dela. Além disso, ainda deu duas facadas no peito de uma das testemunhas, que preferiu não procurar a delegacia.

O caso chegou a ser encaminhado para a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), mas a vĂ­tima optou por não continuar com a denĂșncia. Jéssica também não tinha medida protetiva contra o suspeito.

No mĂȘs passado, o mesmo homem tentou matar o ex-patrão, porque exigia que uma mulher que trabalhava no local ficasse com ele. Ele foi impedido, mas depois retornou ao local e incendiou a oficina. Mesmo com tudo isso, segundo o delegado, o patrão preferiu não procurar a delegacia por medo.

As investigações continuam para esclarecer completamente o caso e garantir que a justiça seja feita.

Fonte: g5news

Comunicar erro
governo combate

ComentĂĄrios

Assembleia Legislativa