Bioparque

Pacientes têm acesso a consulta com especialistas sem fila e perto de casa na Capital

Por PH em 03/08/2022 às 08:03:19
Foto : Divulgação

Foto : Divulgação

Implementado em dezembro do ano passado em Campo Grande, o serviço de Teleinterconsulta tem apresentado excelentes resultados e já auxiliou no atendimento de centenas de pacientes que tiveram acesso a consulta com médicos especialistas sem a necessidade de aguardar por um longo período e perto de casa. A Capital foi a primeira cidade em Mato Grosso do Sul a instituir o programa na Atenção Primária. Atualmente o serviço está sendo oferecido em 9 unidades.

Através da web conferência, o profissional de saúde utiliza estratégias de atendimento compartilhado entre paciente, médico assistente e especialista.

Atuando desde março deste ano na Unidade de Saúde da Família (USF) do Bairro Moreninhas, um dos mais populosos da Capital, o médico residente em Saúde da Família e Comunidade, Bruno Luiz Nunes, destaca que com o apoio da Teleinterconsulta é possível agilizar o diagnóstico e tornar os tratamentos ainda mais precoces e eficientes, além de qualificar os encaminhamentos para a rede especializada.

"Com isso se reduz o tempo de espera para atendimento especializado, a demanda reprimida e o deslocamento dos usuários, Pensando na localização do bairro onde estamos, por exemplo, que é bem afastado. É uma vantagem enorme para o paciente que muitas vezes teria que se deslocar até uma unidade especializada ou a um hospital para ter acesso ao atendimento. Ter o especialista na ponta com acesso rápido facilita todo o processo. Conseguimos dar uma resposta mais rápida ao paciente", diz.

O médico destaca que apesar de não haver o contato físico do especialista com o paciente, quando é observada a necessidade, é possível fazer o encaminhamento para o atendimento presencial. No entanto, até o momento o serviço tem apresentado alto índice de resolutividade. "Quase que toda a totalidade dos casos a gente consegue dar seguimento pela Teleinterconsulta, sem necessidade de encaminhado. Outro ponto importante é que essa troca nos proporciona um aprendizado, porque podemos tirar dúvidas com o especialista durante o atendimento", enfatiza.

A dona de casa, Aparecida de Jesus Rezende de Souza, 65 anos, passou pela experiência de poder consultar o especialista sem fila e no postinho perto da sua casa e se disse surpresa pelo atendimento.

"Para nós isso aqui é maravilhoso. Eu já precisei consultar com um cardiologista há muito tempo e eu lembro que precisei esperar quase três meses para ser atendida. E o atendimento que estamos tendo agora aqui na nossa unidade é muito bom. Sem contar que mesmo distante eu me senti bastante acolhida porque o médico aqui nos dá esse respaldo e vai nos auxiliando quando precisamos responder algo", diz.

Inicialmente, o serviço de Teleinterconsulta foi implementado em duas unidades de saúde: USF Moreninhas e USF Tiradentes e foi expandido para outras sete unidades: USF Batistão, USF Coophavila, USF Parque do Sol, USF Itamaracá, USF Vida Nova, USF Noroeste e USF Oliveira. A expectativa é, futuramente, expandir o serviço para as 72 unidades de saúde que compõem a Atenção Primária. Hoje o serviço oferta 10 vagas para atendimento em cardiologia por semana. Existe a expectativa para ampliar a oferta para 19 especialidades, como alergia e imunologia, angiologia, cirurgia geral, dermatologia, endocrinologia, hematologia, infectologia, mastologia, pneumologia, neurologia, oftalmologia, psiquiatria, urologia, entre outras.

São atendidos pelo serviço pacientes que tenham indicação do médico da unidade. Considerando que o serviço é voltado a atender pacientes pertencentes a área de abrangência de cada unidade, hoje o Teleinterconsulta contempla mais de 90 mil pessoas. O quantitativo é referente a estimativa de usuários que são atendidos nas nove unidades onde o programa está implementado.

O programa prevê ainda a qualificação dos encaminhamentos para a atenção especializada, diminuição do tempo de espera para o atendimento especializado presencial, atuando na queda da demanda reprimida, nos deslocamentos dos usuários, reduzindo gastos com transporte.

Existe a expectativa ainda de expandir também o atendimento aos pacientes acamados através do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) e dar suporte às unidades de urgência e emergência, entre outros, além do apoio ao tratamento dos pacientes provenientes do interior do Estado.

A implantação do Programa Municipal de Teleinterconsulta é fruto da parceria da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), com o Laboratório de inovação na atenção primária à saúde (INOVAAPS) e o Laboratório de inovação tecnológica em saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LAIS).

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comunicar erro

Comentários

vacin