governo ms

Pandemia: cuidados devem ser mantidos com variante √"micron

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reafirmou hoje (28) que a principal arma contra a covid-19 é a vacinação. Mais cedo, o ministro realizou uma...

Por PH em 28/11/2021 às 17:09:23
Foto : Divulgação

Foto : Divulgação

O ministro da Sa√ļde, Marcelo Queiroga, reafirmou hoje (28) que a principal arma contra a covid-19 é a vacina√ß√£o. Mais cedo, o ministro realizou uma transmiss√£o ao vivo nas redes sociais durante reuni√£o de trabalho sobre a variante Ômicron do novo coronav√≠rus.

Segundo Queiroga, o cen√°rio epidemiológico no Brasil é de maior tranquilidade em fun√ß√£o da campanha de vacina√ß√£o. Até o momento, foram distribu√≠das aos estados 372 milh√Ķes de doses, sendo que 308 milh√Ķes j√° foram aplicadas na popula√ß√£o.

"Gostaria de tranquilizar todos os brasileiros, porque os cuidados com essa variante s√£o os mesmos cuidados com as outras variantes. A principal arma que nós temos para enfrentar essas situa√ß√Ķes é a nossa campanha de imuniza√ß√£o", afirmou.

De acordo com o secret√°rio de Vigil√Ęncia em Sa√ļde, Arnaldo Medeiros, as medidas de prote√ß√£o contra a covid-19 devem ser mantidas. "É extremamente importante que mantenhamos foco na campanha de vacina√ß√£o e que mantenhamos as medidas chamadas n√£o farmacológicas [uso de m√°scaras], evitarmos aglomera√ß√Ķes p√ļblicas, higieniza√ß√£o das m√£os, √°lcool em gel e etiqueta respiratória", disse.

Na semana passada, o surgimento de uma variante do novo coronav√≠rus foi confirmado em regi√Ķes da África. Batizada de Ômicron - letra grega correspondente à letra "o" do alfabeto -, a cepa B.1.1.529 foi identificada em Botsuana, pa√≠s vizinho à África do Sul, em meados de novembro.

Segundo a Organiza√ß√£o Mundial da Sa√ļde (OMS), a variante pode se tornar respons√°vel pela maior parte de novos registros de infec√ß√£o pelo novo coronav√≠rus em prov√≠ncias sul-africanas.

No Brasil, ainda n√£o foi registrado nenhum caso da Ômicron. Por medida de precau√ß√£o, a partir de amanh√£ (29), o governo federal decidiu restringir e entrada de passageiros oriundos da África do Sul, Botsuana, Lesoto, Nam√≠bia, Zimb√°bue, Eswatini (ex-Suazil√Ęndia), Angola, Malawi, Mo√ßambique e Z√Ęmbia.

Fonte: Agência Brasil

Comunicar erro
banner assemleia

Coment√°rios

vacin