Assembleia Legislativa

Operação in√©dita em MS garante atuação dos bombeiros em √°reas de dif√≠cil acesso do Pantanal

Por Valter Manoel Da Cruz Manoel em 10/06/2024 às 07:51:00

As ações de combate aos inc√™ndios florestais em Mato Grosso do Sul, pela primeira vez, terão suporte de equipes do Corpo de Bombeiros em 13 bases localizadas em diferentes √°reas no Pantanal.

Os locais servirão de suporte para os bombeiros e equipamentos durante a temporada do fogo, que normalmente se concentra entre os meses de julho a outubro, mas que este ano – por conta da estiagem registrada desde dezembro de 2023, intensificada pelas altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar – j√° registra grandes inc√™ndios desde janeiro.

A partir de maio, a situação foi intensificada com aumento dos focos e registros de inc√™ndios, e a previsão é de que os casos sejam mais recorrentes nos próximos meses. Mas o trabalho preventivo realizado no Estado, com informações sobre a situação clim√°tica desde janeiro e ainda com as atividades desenvolvidas pelos bombeiros em propriedades privadas e unidade conservação estaduais, contribui no monitoramento e controle dos inc√™ndios florestais.

No Pantanal, a instalação das 13 bases avançadas vai ajudar a reduzir o tempo de resposta para o in√≠cio das ações de combate em locais remotos e de dif√≠cil acesso, além de contribuir no monitoramento das √°reas localizadas na divisa com o Estado do Mato Grosso e na fronteira com a Bol√≠via.

O governador Eduardo Riedel esteve nesta sexta-feira (7) no Comando-Geral dos Bombeiros, onde acompanhou a situação atual das ações de combate aos inc√™ndios florestais no Estado. "Temos conhecimento que a situação ser√° dif√≠cil em relação ao fogo, especialmente no Pantanal. Porém, estamos atentos e atuantes em todas as √°reas do bioma e também nas demais regiões do Estado. As bases que são montadas, é algo inédito, justamente para contribuir nessas ações de combate", disse Riedel.

A atuação dos bombeiros contribui para a r√°pida resposta em caso de inc√™ndios florestais em √°reas isoladas do Pantanal.

"Enviamos equipes para a região da Barra do São Lourenço uma semana antes de iniciar as bases avançadas, e isso fez muita diferença. O fogo que veio do estado vizinho queimou nove hectares, mas se não estivéssemos l√° a postos, teria sido algo muito maior, de grandes proporções", explicou o coronel Adriano Rampazo, subcomandante-geral do Corpo de Bombeiros.

Além do trabalho presencial dos bombeiros, todo o Estado também é monitorado via satélite com uso de plataformas da Nasa – ag√™ncia do governo dos Estados Unidos –, Pol√≠cia Federal, Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), além de tecnologia de navegação, dados e intelig√™ncia artificial, e ainda apoio de aeronaves.

"Com a efici√™ncia das bases avançadas, vamos aperfeiçoar este trabalho, que ser√° permanente e autônomo, com a estrutura necess√°ria para o trabalho de combate ao fogo", disse o coronel Frederico Reis Pouso Salas, comandante-geral dos Bombeiros.

Com atuação planejada e organizada, o Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul desenvolve importante trabalho nas ações de controle e combate a inc√™ndios florestais em todo o Estado. O apoio de diversas tecnologias contribui para a pronta resposta e efetiva extinção de focos - especialmente no Pantanal.

As boas pr√°ticas desenvolvidas em Mato Grosso do Sul, para monitoramento dos biomas e ações eficientes de combate a inc√™ndios florestais contribuem de forma decisiva na preservação ambiental.

Situação

A Operação Pantanal 2024 completa hoje 67 dias e continua na fase de preparação e prevenção, além de ações para conter e extinguir os inc√™ndios florestais.

Atualmente, 80 militares estão diretamente envolvidos nas operações de combate, com apoio do GOA (Grupamento de Operações Aéreas), além de policiais militares que atuam em no suporte aéreo.

Inc√™ndios estão ativos no Forte Coimbra – com √°rea queimada foi de 559 hectares – e Paraguai Mirim – com dois grandes inc√™ndios. Na tarde de quarta-feira (5) foi verificado novo foco de inc√™ndio próximo a Escola Jatobazinho (Paraguai Mirim).

A aeronave Air Tractor do Governo atua no combate direto desde o in√≠cio da manhã de sexta-feira (7), e a equipe em solo tem desde antes realizado aceiros para confinamento e isolamento do inc√™ndio. A √°rea queimada na região, nos dois inc√™ndios, é de mais de 10,3 mil hectares.

Na região próxima à cidade de Corumb√° – com mais de 7,4 mil hectares atingidos –, a guarnição contou com aux√≠lio da aeronave Harpia 01 para deslocar ao combate, j√° que a √°rea é alagada e de dif√≠cil acesso. Um novo foco de inc√™ndio, na região de Caimasul – com √°rea queimada de 771 hectares –, também recebeu uma equipe para reconhecimento e combate ao inc√™ndio.

As ações preventivas das equipes dos bombeiros na região pantaneira começaram no dia 2 de abril, com foco no trabalho que envolve o manejo integrado do fogo. J√° a instalação das bases avançadas começou no dia 14 de maio, com a sa√≠da de uma barca carregada com ve√≠culos, equipamentos e suprimentos.

"Nós reestruturamos as nossas técnicas e t√°ticas para evitar os grandes inc√™ndios em Mato Grosso do Sul e esta atividade de prevenção é uma das principais ações que desenvolvemos. E com as bases avançadas, estaremos presentes nos locais e caso aconteça algum inc√™ndio, a resposta é muito mais efetiva", disse a tenente-coronel Tatiane Inoue, diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros, respons√°vel pelo monitoramento e ações de combate aos inc√™ndios florestais no Estado.

Natalia Yahn, Comunicação Governo de MS
Fotos: Saul Schramm

Comunicar erro
Governo Agro

Coment√°rios

Canal 73