Assembleia Legislativa

Bioparque lança "PPBio Pantanal: Capital Natural", programa de produção e popularização da ci√™ncia

Por PH em 23/05/2024 às 07:42:11
Divulgação

Divulgação

Com o lançamento do programa "PPBio Pantanal: Capital Natural", nesta quarta-feira (22), o Bioparque Pantanal se tornou um dos principais produtores de conte√ļdo e de divulgação cient√≠fica do Brasil. A parceria entre o Bioparque Pantanal e o Programa Brasileiro de Pesquisas em Biodiversidade (PPBio-MCTI-CNPq) vai envolver mais 120 pesquisadores de 30 instituições nacionais e internacionais que vão desenvolver projetos de pesquisa voltados para a Biodiversidade e inclusão social.

Um dos objetivos do "PPBio Pantanal: Capital Natural" é compreender a diversidade biológica do bioma e os serviços ecossist√™micos do Pantanal. As pesquisas vão abranger desde comunidades locais residentes no Pantanal a estudos internacionais, devido à relevância e a importância do bioma para o planeta.

Além da produção cient√≠fica, o programa tem como meta a popularização da ci√™ncia, tornando as pesquisas desenvolvidas no "PPBio Pantanal: Capital Natural" acess√≠veis e compreens√≠veis a todo o p√ļblico.

"A popularização da ci√™ncia é uma realidade desenvolvida no Bioparque Pantanal e com esta parceria vamos expandir a produção e divulgação cient√≠fica, agregando a inclusão social e a acessibilidade que é um fator preponderante para o complexo. Quanto mais conhecemos e desenvolvemos pesquisas, mais podemos contribuir para a preservação e conservação deste grande bem da humanidade que é o Pantanal", comentou a diretora-geral do Bioparque Pantanal, Maria Fernanda Balestieri.

A data escolhida para o Workshop de lançamento do programa "PPBio Pantanal: Capital Natural" faz alusão ao Dia Internacional da Biodiversidade, institu√≠do pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 1992 e celebrado em 22 de maio.

Com quase 800 mil visitantes, incluindo turistas de mais de 100 pa√≠ses, o Bioparque Pantanal se consolidou um dos principais destinos turi-cient√≠fico do mundo e refer√™ncia na produção e popularização da ci√™ncia. O lançamento do programa ocorreu no Centro de Convenções do Bioparque Pantanal e contou com a participação de professores e pesquisadores que apresentaram estudos em desenvolvimento.

"O programa foi aprovado recentemente pelo Ministério da Ci√™ncia e Tecnologia e seu lançamento ocorre em dia muito celebrativo mundialmente, o Dia Internacional da Biodiversidade. O nosso objetivo é avaliar o Pantanal, em particular o seu capital natural, que envolve a biodiversidade e os benef√≠cios que a natureza promove para as pessoas e a sua importância para a economia, sa√ļde e comunidades tradicionais. O Bioparque j√° est√° consolidado como um grande hub de comunicação cient√≠fica com a comunidade, principalmente de uma forma inclusiva, e agora caminhamos para uma ci√™ncia não apenas receptiva, mas pró-ativa, onde as pessoas serão protagonistas na coprodução cient√≠fica", comentou F√°bio Roque, coordenador do programa PPBio Pantanal: Capital Natural.

"O Programa Brasileiro de Biodiversidade é crucial no pa√≠s que detém a maior diversidade de espécies e organismos do planeta. O programa est√° presente em todos os biomas do Brasil, com pesquisadores trabalhando para avaliar a biodiversidade e quais ameaças estão sofrendo. E o Bioparque é um espaço democr√°tico e muito importante que traz todo o conhecimento para a população e aproxima as gerações, independente da classe social. O Bioparque faz tudo isso de uma forma muito clara, com fundamento cient√≠fico e elegância", afirmou o coordenador-geral do Programa Brasileiro de Biodiversidade, professor doutor Geraldo Wilson.

Durante o Workshop com a comunidade cient√≠fica, quatro projetos que estão em desenvolvimento foram apresentados ao p√ļblico. A professora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Let√≠cia Couto Garcia, apresentou o projeto "Serviços Ecossist√™micos nas Paisagens do Pantanal", que estuda ações de conservação no bioma que podem gerar compensação às comunidades locais.

"Nosso estudo tem como objetivo conhecer todos os serviços ecossist√™micos do Pantanal e quais regiões det√™m maior quantidade destes serviços, ou seja, o que a biodiversidade traz às pessoas como benef√≠cio e quais os riscos do bioma. Por exemplo, serviços como quantidade e qualidade da √°gua, estoques de carbono e polinizadores que vão ajudar na produção dos alimentos. Com a participação da população, através da ci√™ncia cidadã, e os dados coletados na pesquisa, vamos atuar na conservação e preservação do Pantanal", explicou Let√≠cia.

Eduardo Coutinho, Comunicação Bioparque Pantanal
Fotos: Lara Miranda

Comunicar erro
Governo Agro

Coment√°rios

Canal 73