Canal 73

Fazendeiros convocam ato a favor de prefeito preso por dar 15 tiros contra a ex

Por PH em 06/12/2023 às 14:12:16
Reprodução

Reprodução

Prefeito de Iporá (GO), Naçoitan Leite, que é produtor rural, responde por tentativa de homicídio, mas fazendeiros e empresários da cidade falam em 'perseguição'

Produtores rurais e empresários de Iporá (GO) estão convocando a população para manifestação a favor do prefeito Naçoitan Leite (sem partido), preso sob acusação de tentativa de homicídio contra sua ex-mulher e o namorado dela. O ato pela libertação do gestor municipal está marcada para quinta-feira (7), no centro da cidade.

O Ministério Público de Goiás (MPGO) denunciou Naçoitan Leite à Justiça por tentativa de feminicídio contra a ex-mulher com a qualificadora de motivo torpe, por tentativa de homicídio contra o namorado dela também por motivo torpe, por porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, além de fraude processual.

Distante 216 km de Goiânia, Iporá fica no Oeste de Goiás e tem 35 mil habitantes. O plantio de grãos, em especial a soja, é o motor da economia local. As informações sobre a manifestação a favor de Naçoitan são do site O Hoje, de Goiás.

O crime aconteceu na madrugada do dia 18. Vídeos de câmera de segurança mostra o prefeito descendo da caminhonete, olhando pelas frestas do portão da frente da casa da ex, voltando ao veículo, manobrando, colocando-o de frente para o imóvel e acelerando. A picape derrubou o portão e foi parar na sala, após quebrar portas e móveis. Em seguida, o prefeito começou a atirar contra o quarto de casal.

O delegado da cidade pediu a prisão preventiva de Naçoitan e a Justiça expediu o mandado no domingo (19). Em depoimento, a mulher contou que o prefeito não aceitava o fim do relacionamento, que durou 15 anos e terminou há cerca de dois meses. Desde então, ele a vinha ameaçando. Vídeos dele rondando a casa dela foram entregues à polícia.

No início desta semana, os 13 vereadores de Iporá aprovaram a abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito, que pode resultar em impeachment. A vice-prefeita, Maysa Cunha (PP), assumiu interinamente a administração do município, na segunda-feira (4).

No entanto, mesmo preso, o prefeito segue exercendo algumas das funções de gestor do município, inclusive nomeando e demitindo funcionários. Inclusive, nomeou, em 1º de dezembro, seu substituto. Danilo Gleic Alves dos Santos, ex-prefeito de Iporá, chegou a assumir a administração municipal, mas acabou destituído após a Câmara Municipal conduzir a vice-prefeito. O MPGO endossou a decisão.

Prefeito tem histórico de ameaças e abuso de poder

Naçoitan Leite tem histórico de abusos de poder e de violência, além de problemas com a Justiça Eleitoral. Em seu segundo mandato consecutivo, está prestes a perder o mandato. O Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO) cassou os registros de candidatura de Naçoitan Leite e de seu vice, Duílio Alves de Siqueira, em 2016.

Já como prefeito de Iporá, Naçoitan foi gravado tentando convencer fiscais de trânsito a não montar blitz com bafômetro em uma rua da cidade, em 2018. A gravação mostrou uma discussão entre o prefeito e um agente, em que o político tentava convencê-lo a não montar bloqueio no dia em que ocorria a exposição agropecuária da cidade.

Em 2021, o vereador Moisés Victor Magalhães denunciou que teria sido agredido pelo prefeito ao filmá-lo num churrasco. Nas redes sociais, o parlamentar divulgou fotos de ferimentos nos braços, nas costas e na cabeça. O caso foi parar na polícia.

Na época, o prefeito alegou que o vereador foi indagado sobre o motivo da filmagem pelos presentes e, como reação, teria atirado uma pedra no grupo. Naçoitan negou qualquer agressão e disse que se escondeu para fugir da confusão.

Prefeito defendeu "eliminar" Lula e Moraes

Recentemente, em 2022, Naçoitan, que apoiou a reeleição de Jair Bolsonaro (PL), ameaçou "eliminar" o então presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

"Até a nossa liberdade está em jogo também. Nós temos que eliminar o Alexandre de Moraes e o Lula. Dois homens estão acabando com o Brasil. Vai virar uma guerra civil por causa de dois homens. Então, vamos arregaçar as mangas. Ou é agora, ou vamos virar a Venezuela. Ou pior que a Venezuela, porque o presidente da Argentina já está morando no Brasil", afirmou Naçoitan no vídeo.

Por causa de tal atitude, em abril, o Ministério Público de Goiás denunciou Naçoitan pela prática de incitação ao crime. Ele foi expulso pelo União Brasil após o MP fazer a denúncia.

Fonte: O Tempo

Comunicar erro
governo combate

Comentários

Assembleia Legislativa